O Site Comercial da nossa cidade!

Diversos

Suplementos podem afetar o humor e o peso

 

Qualquer musa (ou muso) fitness que se preze está sempre consumindo whey protein, barrinhas de proteína e colocando mais frango do que batata-doce no prato. E, de fato, o nutriente é importante para quem quer atingir ou manter um corpo sarado. Mas será que, a longo prazo, priorizar a proteína pode prejudicar a saúde?

 

Essa é a pergunta que pesquisadores da Universidade de Sidney, na Austrália, fizeram em um estudo publicado no início deste mês no periódico Nature Metabolism. E o que eles descobriram é que, sim, uma dieta exageradamente proteica pode ameaçar o bem-estar físico – e o emocional também.

 

Pelo menos em ratos. Os camundongos receberam doses diferentes de BCAA. Esse suplemento – um dos mais usados por quem busca um shape musculoso – é uma mistura de três aminoácidos: leucina, valina e isoleucina. Eles estão presentes naturalmente em carnes vermelhas e laticíneos, e não são produzidos pelo nosso corpo. Daí certas pessoas preferirem reforçar a dose.

 

Os ratinhos foram divididos em quatro grupos, que foram alimentados, até o fim da vida, com diferentes quantidades de BCAA. Um grupo recebeu a dose diária recomendada do suplemento. Os demais grupos consumiram, respectivamente, 20%, 50% e 200% dessa quantidade.

 

Ao final do estudo, os bichos que haviam ingerido o dobro do BCAA recomendado tiveram uma menor expectativa de vida e acabaram engordando. Motivo: os cientistas descobriram que altos níveis desses aminoácidos no sangue atrapalharam que um outro aminoácido, o triptofano, chegasse ao cérebro. Ele é um precursor da serotonina, neurotransmissor responsável, entre outras coisas, pela sensação de bem-estar.

 

Como o triptofano não conseguiu chegar à massa cinzenta dos ratos, a taxa de serotonina caiu – e os ratinhos começaram a comer mais, muito mais. “A queda de serotonina devido ao excesso de BCAA fez com que os animais se tornassem obesos e vivessem menos”, relata, em nota, Stephen Simpson, que participou da investigação.

 

Para os autores da pesquisa, esses resultados mostram que o ideal é ter um consumo equilibrado de fontes de proteína. E isso só é possível seguindo uma dieta variada, com diversos tipos de alimentos que oferecem aminoácidos essenciais: carnes, ovos, leite e derivados, grãos e leguminosas, por exemplo.

 

 

fonte: SuperInteressante


Comente









Notícias Gerais